Passar um tempo no exterior pode ter um peso importante em um currículo. Mas apenas viajar não basta; é preciso vivenciar a cultura e aprender durante esse período fora do país. Para se destacar em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo é essencial evidenciar as habilidades adquiridas durante o intercâmbio para que a experiência se torne, de fato, um diferencial.

Pensando nisso, separamos três dicas que podem te ajudar a incluir os estudo no exterior no seu currículo de forma adequada. Aumentando as chances de sucesso no seu próximo processo seletivo. Confira:

🗺️Quer fazer intercâmbio? Clique aqui e a gente te ajuda!

Identifique o campo mais adequado para inserir a experiência

Pode parecer uma dica óbvia, mas essa é uma das principais dúvidas dos intercambistas: onde inserir essa informação sem prejudicar a estética do documento ou exagerar? A resposta é simples. Se você viajou para estudar, inclua o curso realizado no campo de formação. Se foi trabalhar, invista no campo de experiências profissionais, e assim por diante. O grande diferencial é apresentar uma breve descrição ao tópico utilizado para agregar mais valor ao currículo. Sendo assim, ao indicar os idiomas que possui fluência, por exemplo, é interessante destacar a vivência no exterior e a imersão naquela cultura e língua. Se o seu intercâmbio incluiu estudo e trabalho você pode criar uma subdivisão de vivência internacional. Nessa nova categoria descreva a experiência contando em detalhes o período que ficou fora, para onde viajou, o que estudou, quais trabalhos realizou durante o intercâmbio, etc.

Invista no campo de habilidades pessoais

Outra forma de usar o intercâmbio a seu favor e adicionando no documento um tópico para habilidades pessoais. Escolha, no máximo, cinco das suas melhores qualidades e insira ao seu lado um breve exemplo de como ela contribuiu para o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Para fortalecer sua vivência internacional, priorize habilidades que você consiga encaixar situações ocorridas durante a viagem. Assim, poderá instigar o entrevistador a perguntar mais sobre sua experiência durante a entrevista. Além disso, você pode contar um pouco sobre a experiência internacional no resumo no currículo. Mas tome cuidado para não se estender e deixar o tópico muito grande.

Tenha contatos e referências internacionais

Pode parecer irrelevante, mas muitos recrutadores ainda valorizam a indicação de referências no currículo. Sendo assim, você pode aproveitar essa oportunidade para indicar pessoas de fora do país como contato. Ao citar professores e até empregadores internacionais você poderá demonstrar ao recrutador que utilizou seu tempo também para se desenvolver profissionalmente e criar uma rede de networking.

Se você tiver ainda vários destinos e curso na vivência internacional, considere ainda criar um campo com título Vivência Internacional.

Seguindo essas dicas você poderá valorizar sua experiência no exterior sem forçar a barra, de maneira sutil e eficiente. Contudo, vale lembrar que não é muito interessante inserir no currículo experiências muito antigas. Caso já tenha viajado há mais de cinco anos é importante que você invista em novas visitas ou cursos no exterior. Assim, você e seu currículo estarão sempre atualizados e não faltarão boas oportunidades pelo caminho.

🗺️Quer fazer intercâmbio? Clique aqui e a gente te ajuda!

Comentários